Lucas Inocente
/dvap/01-emprego-x-trabalhabilidade

Emprego x Trabalhabilidade

Emprego é aquilo que a gente faz normalmente das 8h às 18h e provalmente vai nos puxar para exercer uma única função dentro de uma empresa ou negócio muito maior do que podemos entender. A trabalhabilidade já nos guia para uma área mais ampla do nosso esforço, nos permitindo trabalhar em mais de um papel, que possivelmente não estaríamos exercendo se estivéssemos em um emprego formal.

Algumas pessoas se dão melhor exercendo uma única função dentro do todo, outras são mais produtivas e interessadas quando existe a possibilidade de não executar sempre as mesmas coisas todos os dias. Fique tranquilo pois não existe certo ou errado e não estamos aqui para julgar qual tipo de trabalho é melhor ou pior. Precisamos apenas ter o conhecimento e a consciência das possibilidades para que saibamos onde estamos pisando.

Salário x Faturamento

Quando estamos olhando pro nosso emprego, provavelmente estaremos interessados no montante do salário, na maioria das vezes recebido até o 5º dia útil de cada mês.

Se estamos executando ações fomentando nossa trabalhabilidade, estaremos mais interessados no faturamento do nosso esforço, no lucro direto das nossas habilidades e execuções. E isso faz bastante diferença no dia a dia.

Ter a tranquilidade de executar uma função e receber um salário pode ser bom para ter segurança, mas também pode ser entediante dependendo do seu momento de vida. Correr atrás de clientes e fazer a entrega que foi vendido pode ser para algumas pessoas algo assustadoramente paralizante, ao mesmo tempo que para outras pessoas pode ser o que as fazem levantar da cama todo dia.

Cargo x Funções (ou papéis)

Ter um emprego nos coloca em uma posição de cumprir as expectativas de um cargo,enquanto a trabalhabilidade aflora a nossa capacidade de assumir funções. Uma pessoa que é uma ótima em marketing pode ser uma péssima dona de agência de publicidade, porque o trabalho de ponta a ponta de uma agência vai muito além do cargo que ela ocupava em seu emprego. Isso acontece com praticamente todas as profissões. É imporante que você entenda onde você funciona melhor, e ter claro o que não quer para a sua vida.

Especializações x Conhecimentos generalistas

As coisas que nós precisamos estudar e saber fazer para manter um emprego são diferentes das coisas que devemos conhecer e executar para manter um trabalho ou projeto em andamento.

Um emprego te faz olhar no futuro pensando na carreira, em uma boa especialização, enquanto a trabalhabilidade te faz pensar e agir de uma forma mais generalista, tocando em vários pontos de um negócio, e nos papéis que você tem a possibilidade de realizar.

Por exemplo para uma pessoa desenvolvedora de software em formato de emprego, uma nova certificação em banco de dados pode fazer muito sentido para evoluir na carreira e conseguir um maior salário, enquanto uma pessoa que é desenvolvedora de software freelancer (trabalhabilidade) pode fazer muito mais sentido e dar muito mais retorno investir em um curso de marketing digital para melhorar seu jeito de atrair clientes e fechar mais projetos.

Carreira x mercado

A trabalhabilidade aflora no momento em que é vista uma oportunidade de negócio, enquanto o emprego te faz pensar em como se encaixar no mercado de trabalho, olhando pra carreira como uma coisa pré definida, um caminho a ser trilhado.

{icon=bicycle} G> ### Dica do Lucas G> G> Tenho um emprego de desenvolvedor de software desde 2007 mas já brincava com isso desde 2005 fazendo o site do grêmio estudantil ou de bandas de amigos. Mesmo fazendo estágio em outra área na adolescência em paralelo eu já aprendia e executava essa trabalhabilidade. Além disso, já trabalhei e executei funções de muitas formas: DJ, produtor de festas e eventos, anjo de correio elegante em festa de dia dos namorados, garçom, designer, palestrante, mentor de startups, vendedor de ingresso de festas, vendedor de bolo em porta de estádio, fritador de batata frita, entregador de bicicleta, fotógrafo e câmera man, técnico de live streaming, guia turístico e tradutor, ministrei workshops e agora escritor de livros para pessoas que querem tirar suas ideias do papel. :)
G>

Projetos Paralelos

Se temos o privilégio de ter algum tempo para utilizar em projetos paralelos, com certeza é um ótimo tipo de investimento. Projetos paralelos são ótimos para aprendermos coisas que poderão ser utilizadas em um emprego e em próximos projetos. Um projeto paralelo aumenta a nossa trabalhabilidade.

Em um projeto paralelo podemos ter contato com áreas que não temos normalmente em nossos empregos.

{icon=bicycle} G> ### Dica do Lucas G> G> No meu exemplo de desenvolvedor de software, em projetos paralelos tenho a oportunidade de criar, consigo ligar e ter experiência com gestão de projetos, administração, design, vendas, marketing e atendimento ao cliente. Isso me ajuda tanto no meu emprego como em todas as outras coisas que posso vir a fazer no futuro. A experiência é uma ótima forma de aprendizado.
G>

Ambiente de trabalho

Ouso dizer que dependendo da atividade do seu projeto, a última coisa que você irá precisar será uma sala ou loja comercial para executá-lo. Por exemplo, no ramo alimentício existe uma categoria de restaurantes que está crescendo chamada de restaurantes fantasmas, onde os estabelecimentos não tem nenhum endereço de retirada ou local para os clientes consumirem os alimentos, sendo possível pedir apenas por aplicativos e com serviço de tele entrega. Para começar seu restaurante você não precisa nem necessariamente ter os equipamentos culinários, pois existem até mesmo cozinhas compartilhadas que você pode alugar por hora para executar seus pratos e revender para seus clientes.

Então, se hoje em dia um restaurante pode optar por não atender clientes de forma física ou compartilhar os materiais necessários para a produção, a maioria dos nossos projetos talvez possam usufruir disso também. Trabalho remoto já é mais comum que imaginamos e a tendência é só aumentar. Assim como você não precisa de um CNPJ para começar a realizar projetos, ter uma sala física como escritório ou loja não é fundamental também.

{icon=bicycle} G> ### Dica do Lucas G> G> Em 2012 quando abri minha primeira empresa chamada Santins, nós alugamos uma sala no quinto ou sexto mês de empresa e foi somente quando precisamos contratar nosso primeiro funcionário que pensamos em fazer a movimentação da sala da minha casa para a sala comercial. Na época a cultura home office era bem menos difundida e as ferramentas, conexões e tudo o mais eram bem mais rudimentares do que são hoje. Mesmo com o escritório a maioria das reuniões eram na sede dos clientes. G>

Se o seu ramo for o de venda de produtos, existem diversas plataformas de lojas virtuais que você paga por uso ou por mês e o aluguel com certeza é mais barato que de uma loja física. Além disso existem diversas ferramentas online para compartilhamento de documentos, tarefas, projetos, etc, que facilita e muito a troca entre membros de uma equipe, o que também não torna obrigatório um espaço físico apenas para as pessoas da sua equipe trabalharem juntas.

Ter uma sede física é legal e pode permitir uma troca mais valiosa entre os colaboradores, apenas não veja isso como um empecilho para começar sua empresa ou projeto.