Antes de tudo

Como lançar o seu produto? Como tirar aquela ideia do papel? Devo contratar uma empresa pra desenvolver um software pra mim? Quanto custa um aplicativo que faça X, Y, Z?

Antes de qualquer coisa você precisa saber o tamanho do que está fazendo, o tamanho do seu problema e se você estiver pensando em crescimento, o tamanho do seu mercado.

Vamos parar então seis meses pra analisar isso tudo? Vamos ficar um mês pensando e desenhando todas as dezenas de funcionalidades e partes necessárias pra ter nosso hiper-mega-completo-complexo-quântico-disruptivo aplicativo? Em 1 ano de planejamento será que a gente consegue ter certeza de tudo que precisa ser feito? A resposta é não.

Essa é uma verdade que dói: a gente nunca vai ter certeza de nada até colocar algo para ser validado na vida real. Só tem como descobrir se o seu cliente quer algo que não existe, oferecendo. Sabe aquele gerente que sabe de tudo pelas décadas de experiência? Vai errar. O CEO que chega na reunião com um monte de ideias? Vai falhar também.

Mas como saber então se estamos tendo a visão do produto certo? Como ter certeza de que aquele serviço vai conquistar clientes? Como saber se nossos clientes preferem pagar 99 centavos ou 2 mil reais? Talvez um pouco de pesquisa e análise de concorrência ajude, mas invariavelmente vai ser colocando em produção que saberemos.

Mas então eu preciso construir tudo que estou pensando para daí sim colocar o produto na rua? Não, completamente ao contrário. Coloque em produção o quanto antes. A primeira entrega pode ser um texto. Pode ser uma reunião. Pode ser a formação de uma comunidade de pessoas interessadas no tema.

Todas as coisas que pensamos que clientes querem estão erradas até serem provadas que estão certas. Até colocar o pedaço de produto na rua, tudo são hipóteses. Até o consumidor final tomar a decisão de compra na vida real, temos apenas uma boa ideia.

Muita enfase no real! Vida real = produção.

O que você pode esperar deste livro? Metodologias, ferramentas, jeitos de pensar, formas de organização e sessão de ideias. Assim você pode colocar algo em produção, para testar de forma rápida e barata as hipóteses que estão listadas por aí. E daí sim podemos ter certeza de que que a visão certa está produzindo o produto certo.

O ciclo que vamos insistir é um pouco diferente do normalmente apresentado. Vamos falar de aprender primeiro, medir depois e aí sim escolher construir algo. E depois reiniciamos o ciclo. Iniciamos com nossa curiosidade. Depois desafiamos algum número, e escolhemos construir algo para poder embasar nossa decisão.

Queremos construir conhecimento, queremos remover ao máximo de despedícios e "achismos", agindo de forma pragmática e guiado por métricas do mundo real.

Precisamos entender que construir um produto ou serviço é estar em um ciclo infinito de aprendizado. O mundo muda, a concorrência muda, e você muda. Vamos praticar o desapego das certezas, abrindo caminho para experimentos e aprendizados que vão guiar seus caminhos. O sucesso ou fracasso é constante, e lembre que existem inúmeras variáveis que podem determinar o que é sucesso ou fracasso. Começa em você mesmo. Sucesso é atingir 10, 100 ou 1 milhão de pessoas? Sucesso é faturar 10 mil, 100 mil ou 10 milhões por mês?

Vamos falar sobre desenvolvimento da sua comunidade, pensar na sua audiência como sendo a menor possível para validar a sua visão de sucesso. Além da questão do que vamos faturar, devemos pensar também sobre custos. Cada aprendizado para ser validado vai custar dinheiro. Pode ser um dinheiro relativo, em forma de tempo, mas ainda assim será um tipo custo.

Esse pensamento também serve pra quem trabalha em uma empresa e tem "dinheiro infinito". Vamos falar de tempo de espera em vez de dinheiro. E se seu principal concorrente lançar antes algo que era para ser um diferencial? Quanto isso custa? Acredito que o suficiente gerar alguma mudança no planejamento do produto. Agora você vai lançar algo que é uma cópia e não mais inovação.

Vamos falar muito no livro sobre agilidade, que não é sobre entregar rápido, é sobre mudar rápido. É sobre entregar com cadência, garantindo que você se importa com o caminho e com pequenas mudanças de direção, que permitem alinhamento com a visão que está sendo construída.

"Procure o máximo de valor com o mínimo de esforço possível." -- Daniel Wildt, um preguiçoso de excelência!